Prefeito negocia com empresa da Coréia do Sul a implantação de usina de incineração de lixo

Categorias Notícias, Prefeitura de Araras

Carta de intenção foi apresentada e assinada na última segunda-feira (9) por representantes de empresa sul-coreana, que deseja gerar energia elétrica com o lixo incinerado

O prefeito Pedrinho Eliseu está em negociação há cerca de dois meses com uma empresa da Coréia do Sul visando a viabilização e implantação de uma usina de incineração de lixo, reciclagem e geração de energia elétrica, no município de Araras.

Uma carta de intenções foi apresenta ao chefe do Executivo Municipal e assinada pelos representantes da empresa, em reunião realizada na última segunda-feira (9) no gabinete do prefeito, no Paço Municipal. A empresa terá, agora, 30 dias para apresentar um PMI (Procedimento de Manifestação de Interesse), conforme determina a legislação.

Nesse PMI a empresa deverá oficializar as propostas apresentadas formalmente, por meio de um projeto executivo, confirmando investimento de cerca de US$ 33 milhões para a compra de imóvel e construção da usina. Se concretizado, o projeto irá envolver uma concessão ou parceria público-privada, seguindo as leis vigentes e normas ambientais estabelecidas. Inicialmente, a usina teria capacidade para incinerar até 150 toneladas de lixo, com a possibilidade de ampliação.

Depois de aprovado e aceito pelas leis vigentes, o prazo de construção da mesma seria de 12 meses, com o funcionamento logo em seguida. Para a operação dos trabalhos será necessária a aquisição de uma área de 200 mil m², pela própria empresa.

Na carta de intenção, os projetos a respeito do assunto são de conta e riscos da empresa responsável. A apresentação do PMI não gerará garantias de acordo entre as partes envolvidas, pois, se o projeto apresentado for aprovado pela Prefeitura, será aberta licitação pública. E se outra empresa do ramo vencer o certame, esta arcaria com as despesas da execução do projeto executivo apresentado pela empresa sul-coreana.

Pioneira no Brasil

A tecnologia utilizada pela usina é pioneira no Brasil. O resíduos são tratados quase por completos, não oferecendo dano ambiental. “Os 3% ou 2% que sobram dos resíduos são absorvidos pela empresa, sem oferecer dano algum ao meio ambiente. Além da incineração do lixo, ainda ganhamos na reciclagem e na geração de energia elétrica. É uma empresa maravilhosa, com equipamentos e formas de trabalho de primeiro mundo”, explicou o prefeito Pedrinho Eliseu.

Nessa carta de intenções, a empresa sul-coreana assumiria também o compromisso de “encerrar” o atual Aterro Sanitário, desativado desde 2008. O custo para esse encerramento do Aterro, atualmente, gira em torno de R$ 8 milhões. Sem um aterro próprio, a Prefeitura de Araras paga para levar o lixo produzido em Araras para uma empresa particular de Paulínia/SP, desde 2008, quando o antigo Aterro foi lacrado pela Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo).

Além da presença do prefeito e dos representantes da empresa, participaram da reunião no Paço Municipal nesta semana os secretários municipais Carlos Cerri Júnior (Serviços Públicos) e Edson Luzetti (Desenvolvimento Econômico).

Você pode ler também!

Cobertura da UPA recebe telamento para impedir proliferação de pombos e limpeza completa no saguão do prédio é realizado

Serviços de limpeza e telamento foram finalizados nesta quinta-feira (21); aparentemente inofensivos, as aves poderiam trazer

Read More...

Cesta básica em Araras tem queda de 4,4% em agosto e é uma das mais baratas da região

Levantamento foi feito pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da FHO-Uniararas: cesta básica em

Read More...

Prédio recebe adequações para funcionamento do Ganha Tempo, previsto para inaugurar em outubro

Ganha Tempo será um serviço centralizado da Prefeitura para oferecer até 400 tipos de serviços à

Read More...

Poste o seu comentário::

Seu E-mail não será publicado.

Mobile Sliding Menu