Brasil diz que vacina de Oxford chegará da Índia em meados de janeiro

Categorias Saúde em
- Updated

O governo confirmou que vai conseguir comprar vacinas de Oxford vindas da Índia depois de mobilizar autoridades sanitárias e diplomáticas aqui e no país asiático. A previsão, afirma nota assinada pelos Ministérios da Saúde e Relações Exteriores, é receber 2 milhões de doses “em meados de janeiro”.

Preocupado com as chances de perder a compra, já que o governo indiano dará prioridade a sua população, a Embaixada do Brasil em Nova Delhi entrou em campo para reafirmar a importância de receber as vacinas ainda neste mês. O secretário executivo da Saúde, Élcio Franco, segundo cargo de comando na pasta, se reuniu com o embaixador da Índia em Brasília, na segunda-feira mesmo.

Só depois, para dizer com certeza que “não haverá qualquer tipo de proibição oficial do governo da Índia para exportação de doses da vacina contra o novo coronavírus”.

Em meio às tratativas, o presidente Jair Bolsonaro irá nesta terça-feira, à tarde, ao Ministério da Saúde. A crítica entre governistas é dizer que houve má interpretação do que disse o Instituto Serum da Índia, de onde virão as doses.

O presidente do Instituto Serum, Adar Poonawalla, havia afirmado que a empresa só está autorizada no momento a fornecer vacinas para o governo da Índia. Nesta terça, o próprio Instituto esclareceu que a venda para outros países, incluindo o Brasil, está liberada.

Você pode ler também!

Veja o que muda em SP: governo colocou estado na fase vermelha aos fins de semana

De segunda a sexta, só serviços essenciais serão autorizados à noite; aos sábados, domingos e feriados, isso valerá para

Read More...

Brasil ultrapassa 215 mil mortes por Covid, com 1.071 registradas em 24 horas

O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir

Read More...

Em meio à piora da pandemia no país, popularidade de Bolsonaro cai para 31%

Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (22) aponta que a popularidade do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) caiu na comparação

Read More...

Mobile Sliding Menu