Prefeitura inaugura Unidade de Atendimento de Reintegração Social

Categorias Prefeitura de Araras em
- Updated

A Prefeitura de Araras inaugurou nesta quarta-feira (29) a Unidade de Atendimento de Reintegração Social, no prédio anexo ao CAM Guerino Bertolini, no José Ometto 2.

O local vai centralizar e intensificar o acompanhamento de pessoas que cumprem medidas socioeducativas e outras medidas alternativas, após determinação da Justiça, para prestação de serviços à comunidade, por meio de dois programas: Programa de Penas e Medidas Alternativas e Programa de Atenção ao Egresso e Família.

“A Unidade de Atendimento de Reintegração Social é uma alternativa que a Secretaria oferece ao Poder Judiciário para o não encarceramento de pessoas que cometeram crimes de baixo potencial e direcionamento para serviços que beneficiarão a sociedade. É uma forma de não deixar que essas pessoas fiquem impunes, permitindo que elas exerçam atividades como penas alternativas”, explicou o secretário de Estado da Administração Penitenciária, Nivaldo Cesar Restivo, que esteve presente na solenidade.

A implantação da unidade em Araras atende à reivindicação da Prefeitura junto à Secretaria do Estado, por meio de parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social.

“A implantação de um local específico para esse trabalho em Araras também dá mais confiabilidade ao Poder Judiciário para aplicação de penas alternativas, o que garante maior possibilidade de reintegração social para essas pessoas. Estamos muito felizes por trazer essa conquista para a cidade, com o apoio do juiz Rafael Filgueira, promovendo a plena reintegração social dos assistidos”, explicou o prefeito de Araras, Junior Franco.

Atualmente, a Secretaria Municipal de Assistência Social já faz o encaminhamento de cerca de 100 pessoas que cumprem medidas socioeducativas e outras medidas alternativas.

“Nosso objetivo, com a inauguração dessa unidade, é oferecer um suporte mais adequado às pessoas que cumprem medidas socioeducativas, egressos do sistema prisional, familiares de presos, tanto no direcionamento e acompanhamento da prestação de serviços à comunidade quanto no que se refere à participação em programas oferecidos pelos governos Estadual e Federal, aquisição de documentos, orientação jurídica, educacional e de saúde”, ressaltou a secretária de Assistência Social, Marilda Fachini.

A solenidade contou ainda com a presença de autoridades municipais e estaduais, como o coordenador das Unidades Prisionais da Região Central, Jean Ulisses Campos Carlucci, o coordenador de Reintegração Social e Cidadania, Mauro Rogério Bitencourt, a diretora do Grupo e Ações em Reintegração Social, Luci Modesto, a diretora do Programa de Penas e Medidas Alternativas, Márcia Antonietto, da diretora regional do Programa de Penas e Medidas Alternativas, Jaqueline Andrade de Almeira, a diretora regional do Programa de Atenção ao Egresso e Família, Miriam Alice Benine, o juiz do juizado especial cível e criminal, Dr. Lucas Eduardo Steinle Camargo, o juiz do Direito da 1ª Vara Cível, Dr. Rodrigo Peres Servidone Nagase, o juiz de Direto da 2ª Vara Cível, Dr. Matheus Romero Martins, o vice-prefeito de Araras, Carleto Denardi, a primeira-dama e presidente do Fuss (Fundo Social de Solidariedade), Daniela Franco, os vereadores Anete Monteiro dos Santos Casagrande, Eduardo Elias Dias e Marcelo de Oliveira, o comandante da Polícia Militar de Araras, Helington Ilges da Silva e o presidente da OAB/Araras, Marcos Vinícius Vieira.

 

Programa de Penas e Medidas Alternativas

O programa prevê o acompanhamento e fiscalização de, no mínimo, 100 beneficiários de prestação de serviços à comunidade e outras medidas alternativas, com disponibilização de profissional técnico, como assistente social ou psicólogo.

Na Central, pessoas em medidas socioeducativas passarão por avaliação psicossocial e de levantamento de demandas, que levará em consideração suas potencialidades (profissão, graduação, conhecimento e habilidades), bem como limitações e restrições, para serem encaminhadas a instituições sem fins lucrativos para preencher postos de trabalho, em cumprimento de pena alternativa. O programa visa promover a abertura de vagas nos diversos órgãos do Município.

Também tem como diretriz colaborar para a inserção de egressos, familiares e pessoas em medida socioeducativa no mercado de trabalho e na vida produtiva, para minimizar as condições de vulnerabilidade socioeconômica e educacional.

“A Central de Penas e Medidas Alternativas é o meio mais eficaz de atender pessoas que cometem crimes de baixo potencial ofensivo, sem afastá-las da sociedade e de sua família, por meio de monitoramento constante e atividades educativas. Além disso, o programa também oferece suporte necessário para que o Poder Judiciário possa aplicar penas alternativas com maior confiança na estrutura de monitoramento e fiscalização para seu cumprimento mais eficaz”, ressaltou a secretária municipal de Assistência Social, Marilda Fachini.

As penas restritivas de direito, conhecidas como penas alternativas, são destinadas a infratores de baixo potencial ofensivo, com base no grau de culpabilidade, nos antecedentes, conduta social e na personalidade. As medidas, de caráter educativo, visam manter o indivíduo ativo na sociedade, sem expô-lo ao sistema penitenciário, trazendo benefícios para a sociedade e também para o infrator, assim como o reconhecimento de reparação pelo ato cometido.

 

Programa de Atenção ao Egresso e Família

Também desenvolvido pela Central de Penas, ele promove o atendimento de egressos do Sistema Prisional e de familiares de presos e egressos, por meio do acompanhamento dos atendidos em demandas objetivas, como obtenção de documentos, orientação jurídica, educacional e de saúde, além de demandas subjetivas, como atendimentos psicossociais relativos à vida afetiva, emocional e familiar.

Além disso, também realizará a inserção dos egressos, que preencham os requisitos necessários nos programas do Sistema Pró Social, Pró Egresso e em programas de capacitação profissional, geração de emprego e renda, estabelecendo contato e parceria com as instituições da rede de apoio e proteção social do Município e promovendo ações de conscientização, visando a inclusão de egressos em postos de trabalho.

Você pode ler também!

Oito estados brasileiros impõem toque de recolher e DF decreta lockdown

Em São Paulo, o governador João Doria determinou um “toque de restrição”, que tem como objetivo evitar eventos e

Read More...

Adultos infectados com a variante identificada em Manaus têm 10 vezes mais vírus no corpo, aponta Fiocruz

Um estudo feito por pesquisadores da Fiocruz aponta que adultos infectados pela variante brasileira P.1 do coronavírus, identificada primeiro

Read More...

Ararense Natália Crippa pede ajuda dos internautas para participar do Reality “Mansão Cake Lover”

A ararense Natália Crippa pede ajuda dos internautas para participar do Reality "Mansão Cake Lover". Num vídeo publicado em suas

Read More...

Mobile Sliding Menu