Prefeitura faz alerta sobre faltas de pacientes em consultas e exames da Secretaria de Saúde – Abstenção chega a 20%

Categorias Notícias, Saúde

A Prefeitura de Araras faz um alerta à população sobre o número de faltas em serviços pré-agendados pela Secretaria Municipal de Saúde. São altos índices de abstenção em praticamente todos os serviços públicos da área de saúde, o que prejudica outros pacientes que estão em filas de espera pelo mesmo serviço.

Num levantamento feito pela equipe da Saúde é possível concluir que a abstenção é de 20,30%, somando todos os atendimentos e as ausências no período analisado, mas há serviços que ultrapassam os 35% de faltas dos pacientes. Os dados foram coletados dos serviços de consultas, cirurgias e exames de Mamografia e Ultrassom no Caem (Centro de Atendimento à Especialidades Médicas Dr. Nelson Salomé); exame de Mamografia na Santa Casa; consultas, exames e retornos nos PSF’s (Programa Saúde da Família) e nas UBS’s (Unidade Básica de Saúde); e exames diversos de alta complexidade realizados fora da rede, agendados pela Central de Regulação.

Na avaliação de cada um dos serviços oferecidos à população verifica-se que os pacientes que mais faltam são os agendados para exames de Ultrassom no Caem (35%), seguido de Mamografia no Caem (31%), consultas no Caem (30%), Mamografia na Santa Casa (23,5%), consultas e exames nos postos de saúde (23%), cirurgias no Caem (12%) e exames de alta complexidade fora da rede (11%).

Importante ressaltar que a equipe da Secretaria de Saúde ainda consegue minimizar o prejuízo nas faltas às consultas com médicos especialistas do Caem e nos postos de saúde, pois coloca em prática a estratégia do “encaixe” para quem está na fila de espera caso o agendado falte. No mesmo dia das faltas a equipe de Saúde faz contato telefônico com quem está na fila e deseja ser atendido. Nas consultas do Caem, o índice de faltas é de 30% (amostragem de 8 a 19 de junho de 2018), mas com o sistema de encaixe o índice cai para 12%. Nos exames de Mamografia na Santa Casa não há encaixe, mas no Caem o índice de faltas cai de 31% para 25,5% com os encaixes.

As cirurgias realizadas no Caem apresentam um dos menores índices de abstenção, até porque são serviços em que os pacientes já passaram por todos as fases de atendimento. Mesmo assim foram 305 faltas (12%) durante o 1ª semestre de 2018. Outros pacientes que estão na fila poderiam ter sido beneficiados pelos procedimentos oferecidos no Caem: dermatologia, colonoscopia, endoscopia, oftalmologia e pequenas outras cirurgias.

Caso parecido ocorre com os exames de alta complexidade que geram um custo elevado para a Secretaria de Saúde. Durante o período de oito meses (setembro/17 a abril/18), a Central de Regulação da Secretaria de Saúde autorizou o agendamento de 3.840 desses exames, mas ocorreram 422 faltas (11%), mesmo com o fato de os pacientes terem sido contatados um a um por telefone pela equipe da Saúde, antes do agendamento. Na prática foram 422 pessoas que deixaram de realizar os exames, prejudicando outros pacientes que também reivindicavam os respectivos exames.

A Central de Regulação é um setor da Secretaria Municipal de Saúde agora unificada com a UAC (Unidade de Avaliação e Controle), responsável por organizar, controlar e priorizar o acesso e fluxos assistenciais no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Os exames controlados pela Central de Regulação são aqueles em que a Secretaria Municipal de Saúde precisa contratar em unidades hospitalares ou fornecedores da iniciativa privada de outras cidades. São exames mais complexos e de alto custo, solicitados pelos médicos da rede nas unidades de saúde do Município, como ultrassonografia, ecocardiografia transtorácica, ressonância magnética, teste ergométrico, densitometria óssea, eletroencefalograma, cintilografia de miocárdio, entre outros.

As faltas também são altas nas consultas realizadas nos PSF’s e UBS’s. Foi feito um levantamento em três postos (PSF Madre Carla Rabolin, PSF Orlando Zaniboni e UBS Antonio Carlos Fabrício), servindo de amostragem para toda a rede de atendimento de saúde, durante o período de março a maio deste ano. Foram 4.609 agendamentos de consultas, exames de Papanicolau e retornos para apresentação de exames ao médico, mas houve o registro de 1.055 faltas, com índice de 23% de abstenção.

Na prática, esse absentismo (falta dos pacientes após agendamento) gera um grande prejuízo financeiro para a própria Prefeitura, além do fato de muitos pacientes não serem atendidos de forma mais eficaz. “Essas abstenções são uma situação muito delicada. Além dos prejuízos financeiros em novas remarcações, não conseguimos atender a população de uma forma geral mais efetiva. Com esse descaso, as filas por consultas e outros serviços aumentam”, explicou o secretário municipal de Saúde, Luiz Emílio Salomé.

Salomé ainda ressalta que recursos para novas “operações” oneram ainda mais os cofres da Secretaria de Saúde. “Esses gastos a mais poderiam ser utilizados em outros setores, para promover ainda mais qualidade da saúde em nosso município. São recursos consumidos de maneira desnecessária no mesmo serviço”, explicou o secretário de Saúde.

Para a diretora de coordenadoria de PSF e UBS, Margareth Pagotti, se houvesse mais seriedade de parte dos pacientes, o cenário poderia ser melhor para todos que precisam do serviço. “Se a população respeitasse de fato estes serviços disponibilizados pela Secretaria de Saúde, haveria mais rapidez nas marcações de consultas e dos exames; as agendas dos nossos médicos não estariam tão lotadas, sem falar dos prejuízos financeiros, profissional e de produtos. O pessoal tem que entender que se ele não for a uma consulta médica marcada, deixar de realizar ou buscar um exame no dia, está tirando o lugar de outro individuo.”, comentou a diretora.

Precisei faltar. O que faço?

Buscando minimizar os problemas apresentados, a Secretaria Municipal de Saúde informa que os pacientes que não puderem ir às consultas marcadas devem entrar em contato com a unidade de saúde, na qual o agendamento foi realizado. “É fácil. Se não puder ir, entre em contato com o posto de saúde com um dia de antecedência, para remarcar uma nova consulta. Vale lembrar que os exames médicos tem durabilidade de seis meses”, explicou a diretora Margareth Pagotti.

Clique aqui e veja o vídeo.

 AS ABSTENÇÕES DOS PACIENTES NA SAÚDE

Consultas no Caem

1.505 agendamentos

440 faltas

Abstenção de 29,23%

Período de 08/06/18 a 19/06/18 (somente para amostragem)

Exames de Ultrassom no Caem

640 agendamentos

224 faltas

Abstenção de 35%

Período: 1º Semestre de 2018

Exames de Mamografia no Caem

1.955 agendamentos

605 faltas

Abstenção de 30,94%

Período: 1º Semestre de 2018

Exames de Mamografia na Santa Casa

574 agendamentos

135 faltas

Abstenção de 23,51%

Período: 1º Semestre de 2018

Consultas e Exames em PSF’s e PAM’s

4.609 agendamentos

1.055 faltas

Abstenção de 22,88%

Período: Outubro a Dezembro/2017

Cirurgias no Caem

2.565 agendamentos

305 faltas

Abstenção de 11,89%

Período: 1º Semestre de 2018

Exames diversos da Central de Regulação

3.840 agendamentos

422 faltas

Abstenção de 10,98%

Período: Setembro/2017 a Abril/2018

Você pode ler também!

Câmara cria Comissão de Assuntos Relevantes para acompanhar as receitas, despesas e saldos de 2017 no Executivo

Por unanimidade, os vereadores aprovaram durante a 24ª sessão ordinária, na última segunda-feira, o projeto de

Read More...

Reunião do Orçamento Participativo desta quinta-feira será na região sul da cidade

OP é um mecanismo governamental que permite aos cidadãos influenciar ou decidir sobre os orçamentos públicos

Read More...

Concurso Público do TCA: prova acontece no domingo, dia 22

São 283 inscritos para vagas de motorista, borracheiro e funileiro/pintor; avaliação será realizada na EE Vicente Ferreira dos

Read More...

Poste o seu comentário::

Seu E-mail não será publicado.

Mobile Sliding Menu

error: Conteúdo Protegido!