Vacina do Instituto Butantan deve ser distribuída em janeiro

Categorias Brasil em

Na corrida por uma vacina contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2), é esperado que a fórmula desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac Biotech em parceria com o Instituto Butatan comece a ser distribuída, em massa e de forma gratuita, ainda em janeiro de 2021. Para isso, a vacina Coronavac deve ainda ser aprovada nos testes finais de eficácia.

“A quantidade necessária para iniciar a imunização da população brasileira, pode ser aplicada já no início de janeiro com o SUS [Sistema Único de Saúde], com aplicação gratuita em toda população. A melhor notícia que poderíamos ter é a vacina”, afirmou o governador do estado de São Paulo, João Doria, em entrevista para a Rádio Itatiaia.

Atualmente, os testes da fase 3 para a vacina são realizados em nove mil voluntários pelo país, envolvendo centros de pesquisas de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná, além de Brasília, com coordenação do Instituto Butantan. Até outubro, essa etapa deve ser concluída.

No calendário para que a vacina contra a COVID-19 seja distribuída no início do ano que vem, caso o imunizante seja aprovado em todas as etapas, a Coronavac deve obter autorização de distribuição concedida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ainda nos primeiros dias de dezembro.

“Abril do ano que vem já teremos, com toda segurança, a imunização e a tranquilidade que as pessoas poderão celebrar festas, atividades, eventos musicais ou esportivos, sem risco para sua saúde ou sua vida”, explica Doria sobre as perspectivas do combate a essa pandemia.

Produção da vacina
A vacina desenvolvida pelo laboratório chinês com o Instituto Butantan tem em sua fórmula o novo coronavírus inativado, ou seja, contém apenas fragmentos inativos desse vírus (não há chances de desencadear uma infecção). Com a aplicação das duas doses previstas, é esperado que o sistema imunológico de cada paciente comece a produzir anticorpos contra o vírus da COVID-19.

Para ajudar nos custos do programa de desenvolvimento, o Instituto Butantan deve criar uma plataforma de doações para, dessa forma, dobrar a capacidade de produção da vacina contra o novo coronavírus. Segundo o governador, além de atender a todos os brasileiros, é possível que a vacina chegue a ser exportada para países vizinhos.

“Hoje iniciamos um programa de solicitação de doações para que ele possa arrecadar R$ 130 milhões e investir em equipamentos e tecnologia para aumentar a capacidade de produção, que hoje é de 120 milhões da Coronavac. Por que aumentar a produção? Para o atendimento da totalidade de brasileiros, já que a vacina será aplicada duas vezes. Então, pretendemos dobrar para 240 milhões de vacinas para atendermos todos os brasileiros. Havendo uma segunda ou terceira vacina, o Butantan vai exportar para países vizinhos”, avisou Doria anteriormente.

Você pode ler também!

PESQUISA REGISTRADA SP-03722/2020 APONTA PEDRINHO ELISEU COM 36,1% DAS INTENÇÕES DE VOTOS

O pré-candidato a prefeito de Araras, Pedrinho Eliseu, aparece em primeiro lugar na pesquisa eleitoral divulgada nesta quinta-feira, 24

Read More...

Confira a Previsão do Tempo para Araras e Região para os dias 23/09 a 27/09/2020

Quarta-feira (23/09) Frente fria deslocou-se para o estado do Rio de Janeiro. Entretanto, devido a sua proximidade do estado de

Read More...

PAT de Araras divulga novas vagas de trabalho para o dia 23/09/2020

5486464 AUXILIAR DE LIMPEZA 5444861 AUXILIAR TÉCNICO 5483784 ASSISTENTE ADMINISTRATIVO 5484596 BABA 5484656 MOTORISTA DE CAMINHÃO 5480379 MOTORISTA DE DISK ENTULHO 5484491 OPERADOR DE EMPILHADEIRA 5484485

Read More...

Poste o seu comentário::

Seu E-mail não será publicado.

Mobile Sliding Menu